MONTESSORI É PRA TODO MUNDO?


Final de ano chegando e muitos pais estão naquela aflição atrás da melhor escola para seus filhos. E não é pra menos. A vida acadêmica de uma pessoa tem enorme influência na sua vida profissional, e essa é uma das primeiras preocupações que nos vem a cabeça - consciente ou inconscientemente. Mas não podemos esquecer que é na escola que uma boa parte da formação humana acontecerá e é aí que deveríamos nos aprofundar ainda mais nessa reflexão.

Quando falo sobre Montessori com as pessoas, me preparo para ouvir de tudo. Desde pais completamente encantados pelo método, até outros mais desconfiados desse jeito "diferente" de ensinar. Mas muitos falam bastante do 'já ouvi dizer que...´ e aí começa uma avalanche de mal-entendidos que afastam muitos pais da realidade maravilhosa que é este método de ensino.

Abaixo listei apenas alguns dos assuntos que acredito serem os mais controversos:

Liberdade em excesso?

Este é um dos pontos mais incompreendidos em Montessori. Muitos pais e educadores, ainda hoje, não sabem lidar com essa "liberdade" da criança. Acreditam que sua autoridade está diretamente ligada a submissão dos seus filhos/ alunos e não conseguem confiar no potêncial de auto-desenvolvimento de um pequeno ser humano. Para esses adultos, a criança precisa ser vigiada, corrigida e testada a todo tempo, para que nada saia "errado". O que muitos não sabem ou não compreenderam é que a liberdade em Montessori vem acompanhada de uma indefectível responsabilidade e uma forte disciplina. Sem esses dois pilares, é claro, estaríamos criando crianças imaturas e despreparadas.

A criança faz/estuda o que quer?

A criança pode se movimentar livremente pela sala, desde que com respeito. Pode também escolher as atividades que quer trabalhar, mas sabe que terá que concluí-la e guardar todo o material, deixando-o pronto para outra criança usar. Pode fazer um lanche quando sentir fome, mas terá de prepara-lo e limpar a sujeira que fez. Então, podemos resumir a liberdade da criança do seguinte modo: Nós temos o direito e por isso assumimos a responsabilidade. Logo, conquistamos a liberdade.

A criança, de fato, tem a liberdade de trabalhar com o material (área do conhecimento) que mais lhe interessa, mas ele conta com o professor-guia que tem o papel de apresentar outras áreas de interesse: matemática, linguagem, arte, música, zoologia, botânica, ciências, geometria, geografia, astronomia e trabalhos de vida prática. As lições, breves e precisas, são voltadas a instigar a mente das crianças para que elas voltem a aprender mais por conta própria.

Meu filho vai varrer chão?

Ah, sim! Essa você acertou. Ele não só vai varrer o chão, como vai aprender a arrumar a cama, a colocar a mesa, engraxar sapatos, apertar parafusos, costurar, bordar, passar roupa, entre muitas outras atividades que chamamos de Vida Prática. E um detalhe muito importante: meninas e meninos praticam tudo isso igualmente, ok?

Antes de fazer cara feia, saiba que essas atividades são importantíssimas não só para preparar seu filho para a vida como também para criar e diversificar os caminhos neurais em um cérebro que está no auge do seu desenvolvimento . Conhecida na literatura científica como "funções executivas", as atividades da Vida Prática são um laboratório para formação de habilidades cognitivas essenciais.

Montessori é para crianças com retardo mental?

O sistema de ensino Montessori é altamente eficiente para todas as crianças no espectro educativo. Mas é verdade que Maria Montessori desenvolveu este estilo de aprendizado através de estudos com crianças deficientes mentais, com o qual obteve enorme sucesso, comprovado quando muitos de seus alunos, já adolescentes, passaram nos exames da sexta série das escolas públicas italianas.

Maria Montessori era cientista e uma perspicaz observadora do desenvolvimento infantil. Com sua genialidade, notou que as crianças com alguma debilidade mental, assim como as de desenvolvimento normal, aprendiam melhor usando os sentidos por meio de materiais concretos do que através dos discursos dos adultos.

Independência e respeito

Mas, acima de tudo, Montessori revolucionou a educação infantil, há mais de um século atrás, inserindo em seu método de ensino independência e um profundo respeito pela criança, numa época em que a infância era tratada com tanta truculência e opressão . Por causa disso, as crianças experimentavam um incrível aumento em seu orgulho e auto-estima, desenvolviam uma interminável curiosidade e sabedoria pelo mundo natural ao seu redor e, tendo suas necessidades atendidas, podiam contribuir para a melhoria do meio ambiente que estavam inseridas.

Montessori é mais que um sistema de ensino. É uma filosofia de educação. E é fundamental que os adultos envolvidos na criação da criança tenha esses ideias em mente para que a criança tire proveito absoluto desse ambiente proposto.

Montessori pode não ser para todo mundo. E isso nada tem a ver com a criança, mas sim com nós, adultos. Escolher uma escola Montessori exige informação, reflexão e identificação. Montessori é perfeito para todas as crianças, mas não para todo adulto.

"...a tarefa do educador reside em ver que a criança não confunde o bem com a imobilidade e o mal com a atividade, como acontece frequentemente no caso da disciplina antiga. E tudo isso porque nosso objetivo é disciplinar para a atividade, para o trabalho, para o bem; não para a imobilidade, não para a passividade, não para a obediência." Maria Montessori

xxxThaís